The Walking Penguin - Episodio 8



Eles apareceram rápido de mais, em um minuto Bolo via o caminho livre para entrarem no Acampamento sem serem notados e no outro Rafinho e Fofucho haviam sido atingidos por dardos tranquilizantes e estavam sendo levados para dentro. Desde então Bolo ficou onde estava, teve medo de que se saísse de lá alguem o veria, por isso passou a noite toda ali, observando as vigias e o sistema de defesa de lá… Estava prestes a sair de lá e voltar para procurar ajuda, mas um carro fortemente armado chegou naquele momento, o portão principal se abriu e ele entrou… Instantes após isso o tiroteio começou.


Nesse momento, Bolo colocou o plano que ficou montando de noite em prática. Foi até uma parte da muralha que ficava bem próxima da floresta, subiu em uma árvore e pulou para dentro do Acampamento. Com o impacto o pé de Bolo pareceu explodir, não conseguiria andar, por sorte havia caído em um estacionamento onde pode se esconder entre os carros. Quando a dor começou a passar foi mancando para o prédio mais próximo, assim que entrou uma faca foi colocada em sua garganta.


Diego: Bolo? O que está fazendo aqui? -- Já que não recebeu nenhuma resposta Diego o virou para que ele conseguisse reconhecê-lo -- Sou o Diego… Eu escapei a alguns minutos, dai os tiroteios começaram, você sabe o que é?
Bolo: Diego? -- Ele deu um abraço no amigo -- Não sei o que é, mas Fofucho e Rafinho estão aqui dentro…
Diego: O que? Isso não é bom… As pessoas que são capturadas sofrem todos os tipos de testes! Menos eu… Queriam outra coisa minha. -- Diego olhou para o pé de Bolo, empurrou tudo que estava em cima de um carrinho de comida e o colocou nele -- Assim vai ser mais fácil andar.
Bolo: E para onde vamos?
Diego: Vamos para a ala de testes, se eu me lembro bem fica… No meio daquele tiroteio.


Diego começou a empurrar o carrinho onde Bolo estava, enquanto este ficava atento para que, ao primeiro sinal de ameaça ele pudesse atirar. Enquanto isso, o tiroteio parecia se tornar mais intenso a cada minuto. Entraram em um corredor escuro cujo a única luz era a placa de SAÍDA na porta, nesse momento pararam.


Diego: Em uma dessas portas tem uma varanda, preciso que me dê cobertura enquanto eu vou procura-los -- Diego ajudou Bolo a sair do carrinho -- Consegue andar?
Bolo: Mancando mas consigo… Vá -- E ele foi, Bolo entrou em exatamente seis salas antes de acertar, era realmente um lugar muito bom para vigias, uma varanda dava vista total para a parte da frente e uma escada de fuga se encontrava do outro lado da janela. -- Então vamos lá


Bolo apoiou a arma e começou a observar Diego, que avançava com cautela entre os guardas que pareciam ignora-lo, mas ele parou, duas pessoas que estavam vestidas com outro uniforme pareceram chama-lo e ele seguiu correndo para perto de onde o carro tinha parado. Então Bolo desceu a escada correndo, não poderia imaginar o que tinha acontecido, do carro onde parecia não ter vida saíram quatro pessoas, sendo uma Diego, massacrando todos os guardas que atiravam em uma das torres da entrada e de lá saiu, repentinamente, um míssil que atingiu o prédio onde a poucos segundos estava Bolo que, assustado, tentou sair de lá, mas era tarde de mais que parte do telhado caiu até atingi-lo.


Fredy: Ei Bolo! -- Cutucou mais uma vez o homem caído -- Acorde rápido temos que sair daqui agora mesmo!
Bolo: Mas o que?
Fredy: Estão todos esperando no carro, temos que sair daqui agora mesmo, tem outros vindo -- Como ele não respondeu Fredy apoiou Bolo em seu ombro e o carregou até o carro -- Lili, abra a porta do carro.
Lili: Tudo bem -- Abriu a porta, estava com o braço machucado por um tiro -- Bolo! Jonnh sabia que ia te encontrar, ele esta inconsciente agora, mas ele sabia que ia te encontrar!
Bolo: Onde esta Diego? -- Ele estava começando a voltar ao normal -- Eu estava com ele mas....
Fredy: Esta tudo bem, Diego vai fugir com Fofucho, Rafinho, Pedrinho e Marcols… Estão indo pelo outro lado, vão explodir tudo antes que os outros cheguem!
Lili: Tudo bem agora vamos -- Ela, com o braço não machucado empurrou Fredy para dentro -- Pin está la abrindo os portões vá la ajuda-lo!


E Bolo foi, uma caminhada relativamente longa para alguém com a perna machucada e recém explodido, mas chegou logo e viu Pin atento olhando para o horizonte… Se aproximou e terminou de puxar o resto da porta.


Pin: Oi Bolo -- Ele sorriu para o amigo -- É melhor deixar um pouco fechado para n ficar tão evidentemente aberto…
Bolo: Se tivermos que fugir com pressa… Acredite é melhor assim.
Pin: Como queira, eu estava fazendo uma festa quando isso tudo começou, estava quase conseguindo o selo Casa Cheia -- Pin começou a dar um riso triste -- Parece tudo tão idiota agora… Isso tudo já não importa mais!
Bolo: Vai voltar a melhorar… Vamos conseguir vencer esses zumbis algum dia e vai voltar a importar.
Pin: Não tenho certeza, mas… -- O carro passou pelo portão e parou poucos metros para frente. Quando Bolo e Pin terminaram de fechar ele terminou -- Eu tenho que acreditar.
Bolo: E faz certo -- Estava tudo como o final de um filme, dando certo, mas Bolo sabia que não terminaria assim. Em um momento, Pin estava abrindo a porta pra entrar no carro, no outro estava caido no chão com um tiro na cabeça. Visto aquilo, ele entrou no carro rapidamente e o sentiu em movimento. -- E os outros?

Primeiro ouviu uma grande explosão vinda do Acampamento, ficou mais desesperado ainda, mas se lembrou que aquele era o plano… Mas nenhuma morte estava planejada. A segunda explosão veio mais forte pra primeira e obrigou Bolo a se virar para ver o edifício completamente destruído, a terceira explosão veio com a escuridão de uma fumaça que parecia a própria trevas, então sentiu o carro capotar e tudo se apagou.


Atenção leitores, The Walking Penguin continuará sendo postado nos dias habituais, desculpem a demora para a postagem deste episódio!


The Walking Penguin - Episódio 1

The Walking Penguin - Episódio 2