The Walking Penguin - Episodio 4

 
A Turma não recomenda a leitura desse episodio para menores de 13 anos.

Os dois grupos haviam passado a noite muito mal. Um estava preso no Pet Shop cercado por zumbis, com um dos membros com a perna quebrada e um desaparecido. O outro estava preso em um iglu e imaginando se Drakath poderia se transformar ou não em um zumbi e quanto mais o tempo passava mais especulações criavam.



Beiu: Conversei com ele, por enquanto está normal.
Thalia: Se ele se transformar vou com vocês para onde forem.
Chsk: Mas precisamos ir mais rápido, nem eu sei o que faremos quando acharmos o Diego! É sério quanto mais o tempo passa, mais difícil será sobreviver.
Joaninha: Quando o encontrarmos iremos ao acampamento, mas você tem razão, estamos cercados de zumbis e muito próximos do Centro.
Beiu: Eu tenho um plano para nos livramos dos zumbis.
Chsk: Ficarei vigiando Drak, vem comigo Thalia -- Ambos saem deixando Beiu e Joaninha sozinhos.
Beiu: Temos que sair agora enquanto está de noite. Está vendo aquela chaminé? Vou sair por lá e atrair os zumbis para longe, dai você sai e Chsk me ajuda a matar os zumbis.
Joaninha: Ou todos saímos pela chaminé e fugimos para longe. Mas não podemos deixar Drak aqui.
Beiu: Está certa, Chsk e Thalia ficam aqui cuidando deles enquanto procuramos por Diego.
Joaninha: Ótimo, vou falar com eles.

E assim foi, os dois saíram pela chaminé, enquanto Chsk e Thalia atraiam os zumbis para a frente da casa. Depois de algum tempo andando, já estavam quase chegando e estavam seguros. E enquanto passavam por um pequeno córrego, Beiu fez com que a Jo parasse.


Beiu: E se o Diego já for um?
Joaninha: Um o que?
Beiu: Um zumbi -- Beiu estava mais sério do que o normal -- O que faremos?
Joaninha: Deixaremos ele lá. Vamos chegar logo e teremos que responder essas perguntas, mas não vamos ficar pensando muito nisso.
Beiu: Ok. Promete que depois de salvarmos Diego vamos direto para um lugar seguro?
Joaninha: Prometo sim.


Uma explosão atrás deles faz com que a Jo caia e um enorme cogumelo negro suba no céu. Não havia sido longe, a poucos metros daquele córrego.


Beiu: O que foi isso?
Joaninha: Não sei Beiu -- Jo estava se levantando ainda meio desorientada -- Mas é melhor sairmos logo daqui, o barulho atrai zumbi.
Beiu: Você assiste muito filme.


Muitos zumbis começam a aparecer em volta deles, o que os obriga a atravessar o pequeno riacho e ir em direção de uma floresta fechada, único lugar onde não se via zumbis.


Do outro lado do mapa as coisas não estavam melhores. Com a queda Fofucho havia quebrado a perna e por isso acharam melhor passarem a noite no Pet Shop. Os zumbis do primeiro andar acabaram caindo pelo mesmo buraco que Fofucho e por pouco não o morderam. Com o amanhecer tiveram que agir.


Rafaars: Ficou obvio que Rafinho não esta no Hotel, deveríamos procura-lo no Teatro então.
Marcols: Nem pensar, não podemos arriscar a vida de tantos Puffles.
Rafaars: É só deixar os Puffles aqui.
Povilho: Ela não esta falando sério, está?
Bolo: Rafa desculpa, mas nem eu posso concordar com isso. Olha o que aconteceu quando fomos procurar o Rafinho. Se até agora ele não apareceu não acho que o encontraremos.
Rafaars: Não, eu não aceito isso. -- Rafaars sai correndo do Pet Shop para a Plaza, Bolo estava prestes a ir atrás dela quando a porta entre eles e o Hotel cai e zumbis começam a entrar.
Bolo: Pedrinho me ajude a carregar Fofucho para fora.
Povilho: Mas e os Puffles?
Fofucho: Meu deus cara, esqueça esses Puffles!
Povilho: Nunca -- Ele começa a lutar bravamente contra os zumbis, batendo neles com uma casinha para puffles, mas quando ela quebra ele não tem mais com que lutar e os zumbis começam a mordê-lo. -- Alguem salve os Puffles…
Marcols: Povilho! -- Ele abre os puffles mas antes que conseguisse ir ajuda-lo Bolo o segura e o leva para fora.


Enquanto Bolo lacrava a porta do Pet Shop e do Hotel, Rafaars continuava desaparecida. Ela havia entrado no Teatro, lá estava muito escuro e o cenário estava arrumado para “A Noite do Trenó Zumbi” tornando tudo muito assustador. Ela sem fazer muito barulho conseguiu ver, de longe, Rafinho no segundo andar, nos acentos VIPs, e cinco zumbis na parte de baixo.


Rafaars: Rafinho, vou ataca-los! Quando eles saírem de perto venha me ajudar?


Rafinho: Rafa? Tudo bem vou tentar… E obrigado por vir -- Antes de ele terminar a frase os zumbis já haviam chegado nela. Rafaars conseguiu matar o primeiro com um pedaço de cano que pegara no Pet Shop, mas eles foram rápidos e o máximo que ela pode fazer foi afastar os dois próximos. O quarto chegou logo depois, mas nesse Rafaars conseguiu enfiar o cano e mata-lo. Sobrando três. Rafinho já havia chegado e estava matando o que tinha ficado para trás. Os dois zumbis restantes levantaram ao mesmo tempo, com sorte ela conseguiu pegar seu cano e matou um deles, o outro fez com que Rafaars caísse no chão de costas com ele em cima. Quando Bolo chegou para tira-lo de cima dela, já era tarde. Ela havia sido mordida.

OBS: Desculpe pelo atraso na postagem do quarto episodio e lembre-se que este não traduz a realidade das pessoas da Turma.


Episódios anteriores:
The Walking Penguin - Episódio 1
The Walking Penguin - Episódio 2
The Walking Penguin - Episódio 3