[Hearthstone] Em breve, a Blizzard nerfará 7 cartas de Hearthstone

Olá, gente!

Ontem a Blizzard anunciou que, em breve, antes dos eventos de Última Chamada da Turnê do Campeonato de Hearthstone, irá fazer mudanças em alguns cards de Hearthstone consideradas, pelos jogadores, agressivos demais nesta fase atual do metajogo. Os cards em questão são a Arma Trinca-Pedra e o Morsano Totêmico, do Xamã, o Chamado da Selva, do Caçador, Executar e Investida, da classe Guerreiro, e Sargento Abusivo e Yogg-Saron, ambos cards Comuns. Para saber tudo acerca deste balanceamento continue lendo a postagem, que inclui o anúncio feito pela Blizzard.



Próximas Mudanças de Balanceamento – Atualização 6.1.3
Blizzard Entertainment 28/09/2016 

No decorrer do Ano do Kraken, vimos nossos jogadores estabelecer e refinar o metajogo de Hearthstone. Isso levou à descoberta de uma quantidade sem precedentes de novos arquétipos de decks. Novas estratégias e estilos de jogo se desenvolveram graças à nossa comunidade, tão criativa e apaixonada.

Com a entrada de novos cards em Hearthstone, surgem novas chances de inovar e descobrir novos decks. Às vezes, esses novos cards fazem com que cards antigos tornem-se muito mais poderosos. Não raro, tirar os cards velhos da gaveta pode ser bom para o jogo como um todo e permite que os jogadores criem e desenvolvam novos temas, mesmo que não tenham uso imediato no metajogo atual.

Tendo em mente a iniciativa Para manter Hearthstone balanceado, estamos sempre atentos ao nível de força dos cards originalmente presentes nas coleções chamadas Básico e Clássico. Já que eles não entram na rotação anual, como ocorre com certas coleções de expansão ou aventura para os jogadores do modo Padrão, é fundamental gerenciar e monitorar a força deles para o equilíbrio geral do jogo.

Na próxima atualização, faremos mudanças em alguns cards do tipo Básico e Clássico, bem como em outros cards que talvez os jogadores estejam achando agressivos demais nesta fase atual do metajogo. 

Xamã

Nos últimos meses, os decks de Xamã vêm representando um enorme percentual dos decks usados em Hearthstone. Embora seja interessante uma flutuação no nível de força das classes, é importante preservar a sensação de que é possível jogar com e contra uma grande variedade de decks em Hearthstone. Foi bom ver que o Xamã oferece várias opções de construção de decks, mas diante dos fatos decidimos ajustar os dois cards do Xamã mais usados e frustrantes. No curto prazo, acreditamos que esses ajustes farão com que o Xamã se aproxime da média tanto em termos de uso quanto de força. No longo prazo, achamos que desse modo será menos frustrante jogar contra Xamãs e haverá opções mais interessantes de construção de decks para quem joga com essa classe.

Arma Trinca-pedra

A Trinca-pedra é a culpada por certos combos que causam enorme dano, além de ser uma ferramenta confiável de remoção na fase inicial do jogo. Devido à sua força em várias circunstâncias, é um dos cards mais usados por Xamãs na história do Hearthstone. Fazer mudanças em cards básicos que aparecem em todos os decks ajuda a instigar uma variedade maior e pode melhorar o funcionamento do modo Padrão. Vamos preservar uma parte do potencial de sinergia da Arma Trinca-pedra, mas reduziremos o valor dela para usos de remoção mudando o custo de 1 para 2 Mana.

Também avaliamos outros cards do Xamã, como o Trogg de Túnel e o Golem Totêmico, mas ambos sairão em breve do modo Padrão. Assim, consideramos que seria melhor mudar a Trinca-pedra para aprimorar de forma mais permanente o modo Padrão.
 Morsano Totêmico

É bom ver o Morsano em decks baseados em totens, mas a força atual dele gira em torno da possibilidade de evocar lacaios como o Golem Totêmico e o Totem de Vagalhão de Mana. Esse tipo de evocação aleatória não é a mais bacana para um card com custo baixo tão usado. Queremos que ele seja uma boa opção para decks cuja força está em tirar proveito de totens extras com cards como Criatura das Profundezas e Fusão Primeva, mas que seja menos interessante para quem quer apenas um card forte para jogar no terceiro turno. Assim sendo, o grito de guerra do Morsano Totêmico passará a evocar somente totens básicos.

Caçador

Chamado da Selva

Embora tenha sido pensado para ser uma opção forte no fim do jogo, o Chamado da Selva ainda está forte demais. Mudando o custo de 8 para 9 de mana, pretendemos deixá-lo menos poderoso para que não seja usado automaticamente em todo deck de Caçador em detrimento de outras estratégias.
Guerreiro

Executar

A classe Guerreiro tem vários feitiços de remoção. Apesar de pretendermos manter os Guerreiros bem servidos em termos de remoção, o feitiço Executar acabou apresentando uma eficiência exagerada em uma grande variedade de situações. Vamos aumentar o custo de Executar de 1 para 2 de Mana com o objetivo de deixá-lo mais próximo dos instrumentos de remoção já existentes (e futuros) em termos de nível de força.
Investida

Os vários tipos de combo criados pelos jogadores são divertidos. Queremos que eles continuem existindo, mas já constatamos que a possibilidade de conceder Investida a lacaios é particularmente problemática e restringe severamente a criação de novos cards. Assim, reformulamos o card Investida de forma que ele crie oportunidades para o lacaio lutar mas não colabore para a criação de estratégias que possibilitem vencer sem permitir reação por parte do oponente.
Comuns

Sargento Abusivo

Atualmente, os decks agressivos estão fortes demais, e o Sargento Abusivo está em quase todos. Ficamos contentes que ele sirva aos jogadores cuja estratégia principal é usar lacaios, mas os cards neutros do conjunto básico devem ser um tanto específicos, de modo que não sejam usados em qualquer situação. Por isso, o Sargento Abusivo passa a ser 1/1, para que o grito de guerra seja o foco do card, e não apenas uma boa opção para o primeiro turno em todo e qualquer deck agressivo. 


Yogg-Saron, Fim da Esperança

Este é o card mais polêmico que nós já criamos. Tem gente que AMA Yogg, tem gente que odeia. Quando tivemos a ideia de criar Yogg, não esperávamos que ele acabasse sendo usado em torneios. Esse é um card direcionado para jogadores que querem se divertir. Não foi pensado para aparecer constantemente em campeonatos de alto nível. Ele é relativamente fraco em quase todas as classes de todos os níveis, mas de fato está um pouco acima da média em 2 decks: Tempo Mage e Token Druid. Não queríamos enfraquecê-lo a ponto de acabar com a graça do card para aqueles que gostam dele. Agora Yogg-Saron não vai mais lançar feitiços se, durante o grito de guerra, for destruído, silenciado, transformado ou devolvido à mão do dono. Tentamos várias coisas e chegamos à conclusão de que essa mudança é suficiente para diminuir seu uso (especialmente em torneios) sem estragar a diversão dos que amam esse card.



Além das mudanças acima, em uma atualização futura, também cuidaremos do bug que faz com que os cards com Sobrecarga lançados por Yogg-Saron, Fim da Esperança, não causem Sobrecarga ao jogador.


Agradecemos seu interesse em saber as razões das últimas mudanças de balanceamento de Hearthstone. As mudanças nos cards terão efeito a partir da atualização 6.1.3, que está programada para antes dos eventos de Última Chamada da Turnê do Campeonato de Hearthstone. 
O que acharam deste balanceamento? Em minha opinião, o nerf mais positivo, e que já era esperado pelos jogadores, foi o do Yogg-Saron pois é um card capaz de inverter completamente o desfecho de um jogo apenas baseado na aleatoriedade e, pelo menos no modo competitivo, pretende-se que um jogo dependa mais da habilidade do jogador do que da sorte. Pelo contrário, achei negativo, por ser exagerado, o nerf nos decks de Xamã e de Caçador que, para além de dependerem muito dos cards de classe que foram nerfados ainda vão ser penalizados pelo nerf no Sargento Abusivo, que é usado em muitos decks destas classes.

Antes de terminar, queria ainda relembrar que quando cards são nerfados a Blizzard dá um prazo para que os jogadores possam desencantá-los pelo seu valor de criação. Por isso, se não pretende jogar mais com estes cards, aproveite para os desencantar dentro desse prazo.

Comentem e até mais!

Joaninha