O Fim da Ilha - Parte 2


Lágrimas escorriam pelo rosto de Barto enquanto ele corria para a procura de Gary, aquilo tudo estava o sobrecarregando, tinha medo do fim. Já Carol se mantinha forte, ela sabia que se desesperar não ia ajudar nada na situação e só ia deixar tudo pior para seu amigo, então sempre ficava a frente tentando puxá-lo para chegarem mais rápido a EPF, tinham que falar com Gary e entender tudo isso.

Cara do Foguete: O Gary não está vendo ninguém hoje, tentem outro dia!
Carol: Essa é a questão… Não sei se teremos outro dia! Você deve estar sabendo que a ilha está prestes a acabar… E vamos ser deixado de lado!
Cara do Foguete: G falou que essa mentira poderia chegar aos meus ouvidos, mas devo dizer que não é real e tudo ficará bem!
Barto: A Tia Arc… Arctic confirmou!! É o fi… fi… fim de tudoooo!
Cara do Foguete: Pare de chorar… Te garanto que… Ok! Se querem tanto ver o Gary para ele mesmo dizer que isso é mentira, vamos!


Ele colocou o código em uma sala secreta e entrou. Parecia ser uma Sala de Invenções, mas grande parte das coisas estavam empoeirada e coberta de pipoca. Depois de 4 portões com códigos complexos os três chegaram em uma sala lotada de papéis com cálculos e engenhocas estranhas, no meio de tudo aquilo Gary andava de um lado para o outro falando sozinho.

Gary: Se o limite interdimensional de 32 for realmente fisiofasico, então devemos conseguir mudar para… O que vocês fazem aqui?
Cara do Foguete: Desculpe atrapalhar… O Barto não para de chorar! Ele acha que a ilha realmente vai acabar. Diga para ele que é mentira.
Gary: Sinto muito em dizer que não posso, Tia Arctic me ligou a pouco tempo para me avisar que vocês me visitariam, tudo isso é verdade. E agora eu estou tentando descobrir como levar todos para esse novo mundo, já consegui estabelecer uma comunicação…
Cara do Foguete: Espera! Você mentiu para mim então? Eu deveria saber de tudo, principalmente do fim da ilha.
Gary: Bom… Era sobre isso que eu ia falar, consegui comunicação com esse novo mundo e eles passaram uma lista de quem estará definitivamente lá. Só temos pouquíssimos nomes e é por isso que tenho me dedicado para descobrir como vão nos levar para lá… Para que eu possa levar quem quiser ir!
Carol: Mas o que está causando isso? Não podemos parar?
Gary: Creio que não criança, na verdade podemos tentar! Mas as chances são tão pequenas…
Barto: Se há uma chance, temos que tentar! O que temos que fazer?
Gary: Precisam pedir ajuda aos jogadores… Eles são a chave para os dois mundos. Eles podem se teletransportar aqui dentro e se “desconectarem” para navegar para qualquer mundo novo.
Carol: Se eles são tão poderosos por que não nos ajudam?
Cara do Foguete: Vamos para o Centro encontrar algum… E nós perguntamos pessoalmente para eles! Gary deixaremos você trabalhar em paz, boa sorte!
Gary: Boa sorte para vocês também! Mas cuidado! Os jogadores pensam que vocês são como eles, não sabemos como eles vão reagir quando descobrirem a verdade.

Carol seguiu na dianteira com passos largos, não conseguia esquecer de como aquele tal Polo ficará impressionado quando descobriu que não eram como ele. Estava extremamente ansiosa e com medo daqueles tais “Jogadores”, mas tinha que ser forte o futuro da ilha aparentemente estavam em suas mãos. Chegaram rapidamente no Centro, Barto quase não conseguia respirar de cansaço.

Polo: Aqueles ali! Eles são os NPCs que eu falei para você.
Joaninha: Parecem normais para mim…
Carol: Xingou do que? NPC é a sua…
Barto: Calma Carol! Eles são nossa única chance… Cara do Foguete fale com eles!
Polo: Cara do Foguete?? Nossaa um famoso aqui! Mê dá um autografo?
Cara do Foguete: Não sei de onde você me conhece mas não… Não te dou autógrafo nenhum. Estamos aqui pois precisamos de ajuda! Esse mundo todo está prestes a terminar e o Gary falou que vocês são a única salvação!
Polo: O Gary sabe meu nome???
Joaninha: Nós sabemos que o CP vai acabar e estamos realmente muito abalados com isso! Mas o que nós podemos fazer? E vocês realmente são NPCs?
Carol: Não somos NPCs coisa nenhuma! Por mais que eu não saiba o que isso significa e nós não sabemos como vocês podem manter esse mundo a salvo, mas é aqui que eu vivo! Se isso sumir eu vou também!
Joaninha: Acredite em mim quando eu digo que faremos o que for preciso para manter o Club Penguin vivo, se isso for possível! Mas só precisamos saber como!
Barto: Vamos perguntar para a pessoa mais sábia que eu conheço… É um velho que mora no topo da montanha, raramente o vejo pois é muito longe para eu subir a pé, mas vocês podem ter ouvido falar dele!
Polo: Vamos falar com o Sensei??? Eu vou desmaiar sério!